Como aumentar as Emoções Positivas e o Bem Estar diário no período de crise

Como aumentar as Emoções Positivas e o Bem Estar diário no período de crise

Na estreia de sua coluna “Cultura da gestão”, a internacionalista e pós-graduanda em Desenvolvimento Humano Emily Rezende fala sobre estratégias para manter a saúde mental em meio às incertezas da pandemia da Covid-19

Publicado dia 27 de março de 2020

O que impacta o medo em nossas vidas em um momento que estamos vivendo um estado de pânico coletivo?

Nesse caso onde estamos vivendo dias de pandemia pelo coronavírus, a sensação de medo extrapola e perde o sentido positivo de proteção, transformando assim em uma pandemia emocional.

Toda a população entra em estado de paranoia, o que afeta nosso discernimento, fazendo que não enxerguemos nossa realidade por um prisma pleno, tendo assim uma visão deteriorada do que está acontecendo. Começamos então a supervalorizar o lado negativo das coisas, vivendo sempre em estado de alerta.

Isso afeta tanto emocionalmente, ou seja, preocupação com o risco de vida, quanto economicamente, pelo medo de não ter de onde tirar a subsistência durante e após esse período de crise.

Essa situação gera um estado de ansiedade generalizada, que é diferente do medo em sua plenitude, quando ele serve para nos proteger de situações extremas de perigo, por exemplo, quando estamos diante de um leão e depois ele vai embora, o medo passa, já a ansiedade generalizada nos leva a ter uma sensação contínua de risco e tudo fica super valorizado negativamente, começamos a não prestar atenção mais no positivo.

Nós não temos controle do futuro, então essa ansiedade acaba sendo uma energia gasta totalmente em vão, ao contrário do medo genuíno, que serve para nos proteger.

A ansiedade generalizada gera um estado de paranóia, levando todos a ficarem em alerta o tempo todo e com tudo, prevendo o futuro de forma negativa.

Quando estamos nesse estágio temos que gerar consciência de que precisamos soltar essa situação, que não temos controle dela, e ter criatividade em ação, para criarmos soluções positivas para os intempéries, e esse mindset precisa estar livre de qualquer negatividade.

Todos estamos passando pela mesma crise, sempre teremos alguém para nos ajudar. A crise coletiva libera no seres humanos sentimentos de solidariedade, colaboração e cooperação.

A emoções, todas elas, não só o medo e a ansiedade, também é um processo físico e não só mental. Elas surgem no sistema límbico mas afetam como resposta direta em nosso corpo, por exemplo, gerando euforia, suor, taquicardia, mão trêmulas e etc.

Para driblarmos essa situação de emoções negativas, precisamos focar no positivo, no bem estar, que é o caminho para a felicidade humana. Um dos pilares do bem estar é a emoção positiva e podemos cultivá-la em nossa rotina diária. Ter e trabalhar mais pensamentos positivos, fazer depósitos em nossa conta bancária emocional é o primeiro passo. Reflita quais momentos te trazem essa sensação de bem estar, pois ele é subjetivo, às vezes o que te causa essa sensação não são os mesmos gatilhos para outra pessoa. Você pode aproveitar o tempo com os filhos, estudar um novo idioma e sair mais preparado para o mercado de trabalho, ver um filme, dançar, ler… Gerar gentilezas para o próximo também causa uma sensação incrível de bem estar, pois gera um sentimento de contribuição para a sociedade. Assim, se cada um cuidar de si, sairemos muito mais fortes dessa crise, nos conhecendo melhor e também o mundo onde vivemos.


Emily Rezende

Emily Rezende

Escritor da Coluna: Cultura da gestão

Internacionalista, Pós Graduada em Gestão de Pessoas e Liderança, Pós Graduanda em Desenvolvimento Humano, Psicologia Positiva e Head de Relações Internacionais na Quantico. Apaixonada por Design de Serviços.