Vamos falar sobre ecoturismo em Goiás!

Vamos falar sobre ecoturismo em Goiás!

O ecoturismo é um segmento turístico que proporcionalmente mais cresce no mundo e Goiás, com sua riqueza ambiental, tem um enorme potencial para a atividade! Confira na coluna de hoje de Vanessa Pires Morales, presidente da ABIH-GO

Publicado dia 17 de outubro de 2019

O ecoturismo ou turismo de natureza, segundo o Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), é um segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas.

O ecoturismo é um segmento turístico que proporcionalmente mais cresce no mundo, enquanto o turismo convencional cresce 7,5% ao ano, o ecoturismo está crescendo entre 15 a 25% por ano. A Organização Mundial de Turismo (OMT) estima que 10% dos turistas em todo o mundo tenham como demanda o turismo ecológico. O faturamento anual do ecoturismo, a nível mundial, é estimado em US$ 260 bilhões, do qual o Brasil se apropriaria com cerca de US$ 70 milhões.

O Estado de Goiás tem uma forte identidade para a atividade, já que é possível encontrar uma diversidade de águas – fria, quente, doce e salgada –, cachoeiras e quedas d’águas como atrativos para receber turistas amantes de aventura e de natureza podendo praticar rafting, parapente, rappel, tirolesa, trilhas, arborismo, canoagem a poucos quilômetros da capital.

Goiás possui patrimônios naturais mundiais, como o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, localizado no norte goiano, próximo às cidades de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e São Jorge. Esta região ganhou fama graças a suas belas paisagens, rios de águas cristalinas e natureza intocada, sendo considerada Patrimônio Natural da Humanidade, título concedido pela Unesco. De seus imensos paredões brotam rios que formam as principais bacias do continente americano, abriga formações vegetais diversas, centenas de nascentes e cursos d’água, além de rochas que datam de mais de um bilhão de anos, com feições que se modificam ao longo do ano.

Os visitantes da região também encontram diversão e conforto nas cidades de Alto Paraíso, São Jorge ou Cavalcante, em charmosas pousadas, lojas de artesanato e restaurantes. Todas essas atrações fazem parte do roteiro Viva Chapada, lançado no 4º Salão do Turismo, em julho de 2009, e tem apoio do Ministério do Turismo (MTur), além do espetacular Caminho de Cora como opção de trilha de longo percurso que também passa pela região.

Segundo pesquisas, os ecoturistas são classificados com idade entre 25 e 50 anos, e preferem viajar sozinhos ou em pequenos grupos, afinal, eles buscam contemplar a natureza, ouvir o barulho dos pássaros e contemplar melhor a vegetação. Os turistas desse segmento querem ver, sentir, cheirar, tocar, comer o inusitado e procuram ler bastante sobre o destino antes de planejar a viagem.


Vanessa Pires Morales

Vanessa Pires Morales

Escritor da Coluna: Turismo Regional

Diretora da Vivence Hotéis e Presidente da ABIH-GO desde 2016