Leitura Estratégica

Comitê recomenda mais 15 dias de quarentena a empresas em Goiás. Escolas, 60 dias

O texto recomenda ao governador, que pode publicar decreto ainda hoje (3) ou amanhã (4), a “programação para reinício das atividades do setor produtivo de forma escalonada e gradual […] após expiração do decreto governamental que determina o isolamento social”


A Secretaria de Estado de Saúde de Goiás emitiu hoje (3) pela manhã uma nota técnica (leia aqui) em que recomenda a interrupção das atividades não essenciais por mais 15 dias, começando em 05/04. Além disso, as atividades educacionais presenciais (escolas, faculdades e universidades) também devem continuar suspensas, por mais 60 dias, a partir da mesma data.

O texto recomenda, ainda, a “programação para reinício das atividades do setor produtivo de forma escalonada e
gradual, em plataforma validada pela autoridade sanitária, após expiração do decreto governamental que
determina o isolamento social”.

Entre as atividades não essenciais com funcionamento interrompido estão “estabelecimentos abertos ao público que envolvam aglomeração de pessoas, como bares, restaurantes, lojas de conveniências, distribuidoras de bebidas, à exceção das atividades em modalidade delivery“; “reuniões e eventos religiosos” e “campeonatos esportivos de qualquer natureza”.

Estão isentas das restrições as atividades de prestação de serviços de saúde nos casos em que os tratamentos não podem ser interrompidos ou adiados por colocarem em risco a vida do paciente.

Atualização (às 15h de 03/4) 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) emitiu agora à tarde uma nova nota técnica em que recomenda a suspensão das aulas presenciais em Goiás até o dia 30 de abril. No período da manhã, a SES havia recomendado que a suspensão, que vale para escolas, faculdades e universidades públicas e privadas, se mantivesse por mais 60 dias.

Comitê recomenda mais 15 dias de quarentena a empresas em Goiás. Escolas, 60 dias

O texto recomenda ao governador, que pode publicar decreto ainda hoje (3) ou amanhã (4), a “programação para reinício das atividades do setor produtivo de forma escalonada e gradual […] após expiração do decreto governamental que determina o isolamento social”


A Secretaria de Estado de Saúde de Goiás emitiu hoje (3) pela manhã uma nota técnica (leia aqui) em que recomenda a interrupção das atividades não essenciais por mais 15 dias, começando em 05/04. Além disso, as atividades educacionais presenciais (escolas, faculdades e universidades) também devem continuar suspensas, por mais 60 dias, a partir da mesma data.

O texto recomenda, ainda, a “programação para reinício das atividades do setor produtivo de forma escalonada e
gradual, em plataforma validada pela autoridade sanitária, após expiração do decreto governamental que
determina o isolamento social”.

Entre as atividades não essenciais com funcionamento interrompido estão “estabelecimentos abertos ao público que envolvam aglomeração de pessoas, como bares, restaurantes, lojas de conveniências, distribuidoras de bebidas, à exceção das atividades em modalidade delivery“; “reuniões e eventos religiosos” e “campeonatos esportivos de qualquer natureza”.

Estão isentas das restrições as atividades de prestação de serviços de saúde nos casos em que os tratamentos não podem ser interrompidos ou adiados por colocarem em risco a vida do paciente.

Atualização (às 15h de 03/4) 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) emitiu agora à tarde uma nova nota técnica em que recomenda a suspensão das aulas presenciais em Goiás até o dia 30 de abril. No período da manhã, a SES havia recomendado que a suspensão, que vale para escolas, faculdades e universidades públicas e privadas, se mantivesse por mais 60 dias.