Leitura Estratégica

Empresas goianas investem em inteligência artificial

Na locação, não há mais necessidade de o cliente ir na empresa para entregar documentos ou assinar contratos, entre outros benefícios


A expressão “inteligência artificial” faz com que a imaginação nos leve a cenários completamente robotizados como os de “Star Wars”, “Os Jetsons” ou “Matrix”. A verdade é que a inteligência artificial já faz parte da rotina das pessoas. Aplicativos de banco, de automação residencial, computador de bordo no carro são exemplos da inteligência artificial ganhando espaço e se transformando em ferramenta essencial para a sociedade pós-moderna.

A busca de dados exatos e de certeza em investimentos faz com que, a cada dia, um número maior de gestores passe a procurar informações para implementação da inteligência artificial em sua rotina. Uma pesquisa realizada pela International Data Corporation (IDC), que é a empresa líder em inteligência de mercado e consultoria nas indústrias de tecnologia da informação, telecomunicações e mercados de consumo em massa de tecnologia, levantou dados do avanço na transformação digital que as empresas estão aplicando aos recursos de interação com os clientes no que diz respeito a vendas, marketing e atendimento a clientes e concluiu que 67,5% das empresas brasileiras estão antenadas nessa realidade.

A pesquisa falou com 500 funcionários, que têm poder de decisão ou de influência sobre a digitalização dos processos de negócios, de 100 empresas. Entre os que já usam a tecnologia, 65% disseram que houve um aumento na agilidade da execução das atividades; 50% declarou que aumentou a colaboração da equipe; 46% aumentou a produtividade das atividades; 31% disse que verificou diminuição dos custos com deslocamento em viagens e 38% disse que aumentou a satisfação dos colaboradores.

De acordo com os dados apresentados pelo estudo, a utilização da Inteligência Artificial está apenas começando no Brasil e que o grande desafio do país é entender os benefícios que estas soluções trazem. Entre as empresas brasileiras que estão investindo nessa tecnologia, está a URBS Imobiliária. Na área da locação, a empresa já tornou o processo de contratação totalmente digital. Locadores e locatários não precisam mais ir à imobiliária para escolher o imóvel, nem entregar documentos ou assinar o contrato. Tudo é feito por canais digitais.

“O cliente hoje quer agilidade e menos burocracia e a tecnologia nos ajudou a proporcionar isto. No passado, depois que escolhia o imóvel, era necessário cerca de uma semana para cumprir as etapas burocráticas contratuais e entregar as chaves para o locatário. Hoje, esse prazo é de um dia”, explica José Humberto Carvalho, diretor da empresa.

Após escolher o imóvel, toda documentação é enviada pelo cliente pela canal digital à sua escolha – whatsapp, facebook, e-mail ou pelo portal da empresa – para preparo do contrato. A vistoria já é digitalizada no momento em que é feita, por meio de tablets. A documentação é assinada através da plataforma DocuSign, através da qual as partes assinam via smartphone de qualquer lugar do mundo, com segurança e sem custo.

Além disso, a empresa está implantando um dos CRM (Customer Relationship Management) mais modernos do mundo, uma plataforma digital faz acompanhamento e a avaliação de todas as etapas do relacionamento com cliente, desde a primeira abordagem, até o pós-venda.

Com esse sistema, que usa inteligência artificial e está em implantação, as equipes terão acesso, de forma rápida e fácil, à reunião, todas informações e histórico de solicitações dos clientes, assim como o histórico dos imóveis, no que diz respeito a busca, velocidade de locação, entre outras informações. O cruzamento de dados e a análise dos algoritmos permitirão análises de mercado mais precisas e assertivas.

A empresa é a única imobiliária do Brasil a desenvolver um sistema dessa proporção. Para José Humberto, além dos benefícios de redução de tempo envolvido, custos e de burocracia, o maior ganho da inteligência artificial é permitir que nossa equipe deixe as funções operacionais para se dedicar mais tempo ao cliente e à análise dos dados para, assim, oferecer consultorias mais precisas e até mesmo uma antecipação de cenários futuros. “Parece um paradoxo. Mas, apesar da evolução tecnológica, as pessoas continuam sendo importantes em uma perspectiva consultiva”, diz.

No caso da locação, o sistema propiciará benefícios para locatário e locador. Segundo ele, o proprietário poderá acompanhar todos os movimentos referentes ao seu imóvel em tempo real. Assim, terá dados de quantas pessoas selecionaram o imóvel, quantas agendaram visita, o que elas gostam e o que elas não gostam no imóvel.

Já o cliente interessado em locar um imóvel receberá, no mínimo cinco opções que correspondem ao estilo do imóvel que ela procura. “Após fazer o cadastro em seu primeiro contato com a empresa, registraremos e arquivaremos suas opiniões, aptidões, preferências. Dessa maneira, será possível para nossos profissionais verificar rapidamente seu perfil e, assim, atendermos suas necessidades com assertividade”, disse ao explicar que não acredita, em um futuro próximo em uma relação 100% digital e que o grande objetivo da implantação do sistema de inteligência artificial é a focar nas pessoas.

Inteligência artificial no dia a dia

A definição de inteligência artificial é, basicamente, desenvolver nas máquinas e programas de computador a capacidade de raciocinar, aprender, avaliar e até decidir, tal como nós seres humanos. No mundo dos negócios, a AI chega para, sobretudo, gerenciar o enorme fluxo de informações produzido nos dias de hoje, o que os estudiosos da área chamam de Big Data. A estruturação e avaliação de dados por meio de sistemas inteligentes estão fazendo com que decisões e estratégias sejam cada vez mais precisas. Com isso, muitas empresas começam a não só atender mais rapidamente as demandas, mas também a prever as necessidades de seus clientes.

No dia a dia, há várias situações de AI já acontecendo. Quem trabalha no comércio sabe que já estão em vigência sistemas que determinam a quantidade e mix ideal de reposição para cada produto, em cada loja ou elo da cadeia logística. Com isso, o consumidor sempre encontra o produto no ponto de venda e a indústria e o varejo reduzem perdas com estoques acima da demanda.

O reconhecimento facial é outra forma de inteligência artificial presente na nossa rotina diária. Se o celular tem a função reconhecimento facial para desbloquear a tela, saiba que está usando uma moderna atualização de inteligência artificial, que é utilizada pelas agências internacionais de combate ao terrorismo. Já ouviu falar no Data Security, o sistema de segurança de dados na internet? Ele permite que compras e transações bancárias sejam feitas sem risco pela internet.

Se até agora a sua resposta foi negativa para o uso da inteligência artificial, com o Google – que é o case mais famoso dessa tecnologia – você verá que, de fato, a inteligência artificial está presente na rotina. Além dele, os aplicativos Waze e Uber – usados para gerar mapa e solicitar transporte – também são exemplos eficazes da inteligência artificial na nossa rotina.

Empresas goianas investem em inteligência artificial

Na locação, não há mais necessidade de o cliente ir na empresa para entregar documentos ou assinar contratos, entre outros benefícios


A expressão “inteligência artificial” faz com que a imaginação nos leve a cenários completamente robotizados como os de “Star Wars”, “Os Jetsons” ou “Matrix”. A verdade é que a inteligência artificial já faz parte da rotina das pessoas. Aplicativos de banco, de automação residencial, computador de bordo no carro são exemplos da inteligência artificial ganhando espaço e se transformando em ferramenta essencial para a sociedade pós-moderna.

A busca de dados exatos e de certeza em investimentos faz com que, a cada dia, um número maior de gestores passe a procurar informações para implementação da inteligência artificial em sua rotina. Uma pesquisa realizada pela International Data Corporation (IDC), que é a empresa líder em inteligência de mercado e consultoria nas indústrias de tecnologia da informação, telecomunicações e mercados de consumo em massa de tecnologia, levantou dados do avanço na transformação digital que as empresas estão aplicando aos recursos de interação com os clientes no que diz respeito a vendas, marketing e atendimento a clientes e concluiu que 67,5% das empresas brasileiras estão antenadas nessa realidade.

A pesquisa falou com 500 funcionários, que têm poder de decisão ou de influência sobre a digitalização dos processos de negócios, de 100 empresas. Entre os que já usam a tecnologia, 65% disseram que houve um aumento na agilidade da execução das atividades; 50% declarou que aumentou a colaboração da equipe; 46% aumentou a produtividade das atividades; 31% disse que verificou diminuição dos custos com deslocamento em viagens e 38% disse que aumentou a satisfação dos colaboradores.

De acordo com os dados apresentados pelo estudo, a utilização da Inteligência Artificial está apenas começando no Brasil e que o grande desafio do país é entender os benefícios que estas soluções trazem. Entre as empresas brasileiras que estão investindo nessa tecnologia, está a URBS Imobiliária. Na área da locação, a empresa já tornou o processo de contratação totalmente digital. Locadores e locatários não precisam mais ir à imobiliária para escolher o imóvel, nem entregar documentos ou assinar o contrato. Tudo é feito por canais digitais.

“O cliente hoje quer agilidade e menos burocracia e a tecnologia nos ajudou a proporcionar isto. No passado, depois que escolhia o imóvel, era necessário cerca de uma semana para cumprir as etapas burocráticas contratuais e entregar as chaves para o locatário. Hoje, esse prazo é de um dia”, explica José Humberto Carvalho, diretor da empresa.

Após escolher o imóvel, toda documentação é enviada pelo cliente pela canal digital à sua escolha – whatsapp, facebook, e-mail ou pelo portal da empresa – para preparo do contrato. A vistoria já é digitalizada no momento em que é feita, por meio de tablets. A documentação é assinada através da plataforma DocuSign, através da qual as partes assinam via smartphone de qualquer lugar do mundo, com segurança e sem custo.

Além disso, a empresa está implantando um dos CRM (Customer Relationship Management) mais modernos do mundo, uma plataforma digital faz acompanhamento e a avaliação de todas as etapas do relacionamento com cliente, desde a primeira abordagem, até o pós-venda.

Com esse sistema, que usa inteligência artificial e está em implantação, as equipes terão acesso, de forma rápida e fácil, à reunião, todas informações e histórico de solicitações dos clientes, assim como o histórico dos imóveis, no que diz respeito a busca, velocidade de locação, entre outras informações. O cruzamento de dados e a análise dos algoritmos permitirão análises de mercado mais precisas e assertivas.

A empresa é a única imobiliária do Brasil a desenvolver um sistema dessa proporção. Para José Humberto, além dos benefícios de redução de tempo envolvido, custos e de burocracia, o maior ganho da inteligência artificial é permitir que nossa equipe deixe as funções operacionais para se dedicar mais tempo ao cliente e à análise dos dados para, assim, oferecer consultorias mais precisas e até mesmo uma antecipação de cenários futuros. “Parece um paradoxo. Mas, apesar da evolução tecnológica, as pessoas continuam sendo importantes em uma perspectiva consultiva”, diz.

No caso da locação, o sistema propiciará benefícios para locatário e locador. Segundo ele, o proprietário poderá acompanhar todos os movimentos referentes ao seu imóvel em tempo real. Assim, terá dados de quantas pessoas selecionaram o imóvel, quantas agendaram visita, o que elas gostam e o que elas não gostam no imóvel.

Já o cliente interessado em locar um imóvel receberá, no mínimo cinco opções que correspondem ao estilo do imóvel que ela procura. “Após fazer o cadastro em seu primeiro contato com a empresa, registraremos e arquivaremos suas opiniões, aptidões, preferências. Dessa maneira, será possível para nossos profissionais verificar rapidamente seu perfil e, assim, atendermos suas necessidades com assertividade”, disse ao explicar que não acredita, em um futuro próximo em uma relação 100% digital e que o grande objetivo da implantação do sistema de inteligência artificial é a focar nas pessoas.

Inteligência artificial no dia a dia

A definição de inteligência artificial é, basicamente, desenvolver nas máquinas e programas de computador a capacidade de raciocinar, aprender, avaliar e até decidir, tal como nós seres humanos. No mundo dos negócios, a AI chega para, sobretudo, gerenciar o enorme fluxo de informações produzido nos dias de hoje, o que os estudiosos da área chamam de Big Data. A estruturação e avaliação de dados por meio de sistemas inteligentes estão fazendo com que decisões e estratégias sejam cada vez mais precisas. Com isso, muitas empresas começam a não só atender mais rapidamente as demandas, mas também a prever as necessidades de seus clientes.

No dia a dia, há várias situações de AI já acontecendo. Quem trabalha no comércio sabe que já estão em vigência sistemas que determinam a quantidade e mix ideal de reposição para cada produto, em cada loja ou elo da cadeia logística. Com isso, o consumidor sempre encontra o produto no ponto de venda e a indústria e o varejo reduzem perdas com estoques acima da demanda.

O reconhecimento facial é outra forma de inteligência artificial presente na nossa rotina diária. Se o celular tem a função reconhecimento facial para desbloquear a tela, saiba que está usando uma moderna atualização de inteligência artificial, que é utilizada pelas agências internacionais de combate ao terrorismo. Já ouviu falar no Data Security, o sistema de segurança de dados na internet? Ele permite que compras e transações bancárias sejam feitas sem risco pela internet.

Se até agora a sua resposta foi negativa para o uso da inteligência artificial, com o Google – que é o case mais famoso dessa tecnologia – você verá que, de fato, a inteligência artificial está presente na rotina. Além dele, os aplicativos Waze e Uber – usados para gerar mapa e solicitar transporte – também são exemplos eficazes da inteligência artificial na nossa rotina.