Leitura Estratégica

Filarmônica de Goiás é destaque no Festival de Inverno de Campos do Jordão

Com o apoio do Governo de Goiás, a Orquestra se apresentou em São Paulo. E fez bonito nas apresentações que fazem parte de gravações com as principais orquestras brasileiras


A Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG) teve uma passagem de sucesso por São Paulo no último fim de semana. Vinculada à Secretaria de Cultura de Goiás (Secult Goiás), a OFG participou do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão e fez uma apresentação na Casa São Paulo, na capital paulista. Os músicos da orquestra goiana foram muito aplaudidos em todas as oportunidades e receberam elogios do público e dos organizadores. A viagem contou com o apoio do Governo de Goiás e do governador Ronaldo Caiado.

Na sexta-feira (5), a orquestra se apresentou no auditório Cláudio Santoro e, no sábado (6), na Praça do Capivari, em Campos do Jordão. No domingo (7), um dos palcos mais tradicionais do Brasil, a Sala São Paulo, na capital paulista, recebeu os músicos, no encerramento da turnê nacional da Filarmônica. Os concertos tiveram a regência do maestro Neil Thomson, que é diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Goiás, e a participação de Michael Collins, considerado um dos cinco melhores clarinetistas do mundo.

O repertório escolhido para a turnê contemplou a Suíte do Rei Cristian de Sibelius, o Concerto nº 1 para clarinete em fá maior de Weber e a Sinfonia nº 5 de Dvórak. O maestro Neil Thomson destaca que escolheu o repertório para exaltar os pontos fortes da orquestra. “Eu sempre gosto de selecionar peças que não são executadas com tanta frequência. Isso faz parte do “estilo” da OFG!”

O concerto da Sala São Paulo foi transmitido ao vivo pela TV Cultura. Todas as apresentações tiveram casa cheia e emocionaram os presentes. Na Sala São Paulo, a orquestra foi aplaudida de pé.

Mesmo enfrentando uma situação financeira difícil, o Governo de Goiás apoio a turnê nacional da Orquestra. “O governador Ronaldo Caiado se empenhou pessoalmente para que os músicos se apresentassem em São Paulo. Reconhecemos a importância da Orquestra Filarmônica e do trabalho que eles desenvolvem. Foi um trabalho do Governo, com participação da Secretaria de Cultura e do Centro Cultural Oscar Niemeyer, que é uma de nossas unidades”, explicou o secretário de Cultura, Edival Lourenço.
Um dos motivos para a ida da Orquestra Filarmônica a São Paulo tem relação com parceria firmada com o Itamaraty e com a gravadora internacional Naxos, que estão produzindo e gravando uma série de apresentações orquestrais que vão compor um material com 100 obras sinfônicas de nomes como Villa Lobos, Cláudio Santoro e Carlos Gomes, entre outros.

Breve histórico

A história da orquestra começa em 1980, quando foi criada a Sinfônica de Goiás, sob regência do maestro pirenopolino Braz Wilson Pompeo de Pina. Nove anos depois, ela transforma-se em Orquestra Filarmônica de Goiás e passa a ser regida pelo maestro e professor da Faculdade de Artes da Universidade Federal de Goiás, Joaquim Thomaz Jayme. Em 1998, passa a ser chamada de Orquestra de Câmara Goyazes, permanecendo assim até 2011. No ano seguinte, a OFG passa a ter uma programação anual de concertos.

Em 2014, o calendário de concertos consolida-se com a chegada do experiente maestro britânico Neil Thomson. Na atual gestão, o contrato do maestro foi renovado e ele continua com a regência e a direção artística da OFG. A Orquestra Filarmônica tem como palco de referência o Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), unidade da Secult Goiás, onde ensaia e faz suas principais apresentações. A OFG é considerada uma das cinco principais orquestras do Brasil pela crítica especializada.

Filarmônica de Goiás é destaque no Festival de Inverno de Campos do Jordão

Com o apoio do Governo de Goiás, a Orquestra se apresentou em São Paulo. E fez bonito nas apresentações que fazem parte de gravações com as principais orquestras brasileiras


A Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG) teve uma passagem de sucesso por São Paulo no último fim de semana. Vinculada à Secretaria de Cultura de Goiás (Secult Goiás), a OFG participou do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão e fez uma apresentação na Casa São Paulo, na capital paulista. Os músicos da orquestra goiana foram muito aplaudidos em todas as oportunidades e receberam elogios do público e dos organizadores. A viagem contou com o apoio do Governo de Goiás e do governador Ronaldo Caiado.

Na sexta-feira (5), a orquestra se apresentou no auditório Cláudio Santoro e, no sábado (6), na Praça do Capivari, em Campos do Jordão. No domingo (7), um dos palcos mais tradicionais do Brasil, a Sala São Paulo, na capital paulista, recebeu os músicos, no encerramento da turnê nacional da Filarmônica. Os concertos tiveram a regência do maestro Neil Thomson, que é diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Goiás, e a participação de Michael Collins, considerado um dos cinco melhores clarinetistas do mundo.

O repertório escolhido para a turnê contemplou a Suíte do Rei Cristian de Sibelius, o Concerto nº 1 para clarinete em fá maior de Weber e a Sinfonia nº 5 de Dvórak. O maestro Neil Thomson destaca que escolheu o repertório para exaltar os pontos fortes da orquestra. “Eu sempre gosto de selecionar peças que não são executadas com tanta frequência. Isso faz parte do “estilo” da OFG!”

O concerto da Sala São Paulo foi transmitido ao vivo pela TV Cultura. Todas as apresentações tiveram casa cheia e emocionaram os presentes. Na Sala São Paulo, a orquestra foi aplaudida de pé.

Mesmo enfrentando uma situação financeira difícil, o Governo de Goiás apoio a turnê nacional da Orquestra. “O governador Ronaldo Caiado se empenhou pessoalmente para que os músicos se apresentassem em São Paulo. Reconhecemos a importância da Orquestra Filarmônica e do trabalho que eles desenvolvem. Foi um trabalho do Governo, com participação da Secretaria de Cultura e do Centro Cultural Oscar Niemeyer, que é uma de nossas unidades”, explicou o secretário de Cultura, Edival Lourenço.
Um dos motivos para a ida da Orquestra Filarmônica a São Paulo tem relação com parceria firmada com o Itamaraty e com a gravadora internacional Naxos, que estão produzindo e gravando uma série de apresentações orquestrais que vão compor um material com 100 obras sinfônicas de nomes como Villa Lobos, Cláudio Santoro e Carlos Gomes, entre outros.

Breve histórico

A história da orquestra começa em 1980, quando foi criada a Sinfônica de Goiás, sob regência do maestro pirenopolino Braz Wilson Pompeo de Pina. Nove anos depois, ela transforma-se em Orquestra Filarmônica de Goiás e passa a ser regida pelo maestro e professor da Faculdade de Artes da Universidade Federal de Goiás, Joaquim Thomaz Jayme. Em 1998, passa a ser chamada de Orquestra de Câmara Goyazes, permanecendo assim até 2011. No ano seguinte, a OFG passa a ter uma programação anual de concertos.

Em 2014, o calendário de concertos consolida-se com a chegada do experiente maestro britânico Neil Thomson. Na atual gestão, o contrato do maestro foi renovado e ele continua com a regência e a direção artística da OFG. A Orquestra Filarmônica tem como palco de referência o Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), unidade da Secult Goiás, onde ensaia e faz suas principais apresentações. A OFG é considerada uma das cinco principais orquestras do Brasil pela crítica especializada.